Hospital utiliza Biodigestor para reduzir riscos de contaminação no manuseio de resíduos orgânicos

Biodigestor - Eco Circuito

Em 2015, o Runnymede Healthcare Center, hospital de Toronto no Canadá, lançou um plano estratégico de cinco anos visando “implementar estratégias e tecnologias para diminuir o impacto ambiental, reduzir custos operacionais e melhorar a saúde da comunidade”. 

Essa estratégia rendeu à instituição o prêmio Greening Healthcare Rising Star, com a redução do consumo de energia em 25%, e o biodigestor, devido a suas características e impactos, se enquadra naturalmente na operação.
A utilização do biodigstor para processamento e destinação ambientalmente correta dos resíduos orgânicos foi fundamental para atingir as metas deste projeto do Runnymede Healthcare Center!

Desafio

Administrar o descarte correto dos resíduos orgânicos do hospital

Bruce Westwater, diretor de serviços de informação de Runnymede, conta que o Runnymede Healthcare Center lida com um grande volume de resíduos orgânicos diariamente. 

“Nossa cozinha serve cerca de 600 refeições por dia, além de lanches, gerando cerca de 14 kg de resíduos alimentares no café da manhã, 23 kg no almoço e 23 kg no jantar — uma média de duas toneladas por mês”, destaca o executivo.

Com 206 leitos, a instituição hospitalar tem grande preocupação com a saúde dos pacientes e da equipe interna, além do compromisso com o meio ambiente e a sustentabilidade.

Antes de montar a estratégia, os resíduos orgânicos eram descartados de duas maneiras: através do triturador da pia da cozinha, que fragmenta o lixo em partículas que podem passar pela tubulação; ou em lixeiras que eram coletadas para serem transportadas para aterros sanitários. 

Solução

Implementação do biodigestor

Depois de explorar as opções para melhorar o descarte de resíduos alimentares, a instituição optou pelo biodigestor , fornecido pela Eco Circuito). 

“Nossa equipe de serviço de alimentação descarta resíduos de alimentos no biodigestor das oito da manhã às 7:45 da noite. E o equipamento funciona 24 horas por dia”, explica Westwater.

As pás rotativas misturam lentamente os alimentos com infusões de água, oxigênio e as enzimas Powerzyme™ aceleram a decomposição dos resíduos sólidos de alimentos.

Ao longo do processo, o efluente rico em nutrientes é descartado pelo ralo. 

“Todo o procedimento é livre de odor. Não há necessidade de manutenção diária, além da limpeza do exterior da máquina; nós não colocamos nenhum produto químico. Ele roda por conta própria, o que facilita bastante o dia a dia da equipe”, comemora o executivo.

Resultados

Redução de custos operacionais, proteção do meio ambiente, praticidade e segurança para pacientes e equipe.

Westwater também comenta que o biodigestor trouxe mais segurança e consciência ambiental para a equipe. 

Usando um painel digital, a equipe pode acompanhar no biodigestor informações sobre taxas de digestão, atualizações e alertas de serviço, temperatura, número de descartes e peso dos resíduos de alimentos digeridos por hora, dia, semana, mês e ano.

O biodigestor está conectado à nuvem, permitindo acesso aos dados armazenados usando um laptop, tablet ou smartphone, além de possibilitar o envio de e-mails com resumos de desempenho e lembretes de serviço.

“A capacidade de geração de relatórios online da máquina foi um ponto importante para nós”, acrescenta Westwater. “Se, por exemplo, o equipamento registra um aumento dramático ou declínio na quantidade de resíduos de alimentos digeridos por um período de dias, a equipe da cozinha pode investigar imediatamente para ver se algum item específico ou uma alteração nos procedimentos de descarte são responsáveis pelas alterações”.

Reduzir o envio de resíduos orgânicos aos aterros sanitários diminui as emissões de metano

Nos aterros, os resíduos orgânicos se decompõem anaerobicamente (sem oxigênio), emitindo gás metano (CH4), que é 72 vezes mais prejudicial ao meio ambiente do que o dióxido de carbono (CO2).

Por outro lado, o biodigestor decompõe os alimentos aerobicamente (com oxigênio), produzindo apenas água, CO2 e calor a 42ºC (108ºF), sem metano. O CO2 criado faz parte do ciclo natural de geração de carbono das plantas, tornando o processo neutro em carbono.

Portanto, o uso dessa tecnologia é fundamental para as instituições hospitalares que querem ao mesmo tempo obter resultados financeiros e ter uma atuação ativa na preservação do meio ambiente. 

→ Você é gestor hospitalar e gostaria de gerar resultados como esses que o Runnymede Healthcare Center obteve? Faça contato conosco agora mesmo para conhecer o nosso biodigestor!

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print

POSTS MAIS RECENTES

Inscreva-se na nossa newsletter

    ACOMPANHE NAS REDES SOCIAIS