O PROBLEMA DO LIXO

O Banco Mundial projeta que o volume de lixo produzido no mundo vai aumentar 70% nos próximos 30 anos.

Relatório What a Waste 2.0, de setembro do ano passado, aponta para tendência alarmante de 
aumento no volume de resíduos que produzimos.

Volume atual

0
BILHÕES DE TONELADAS

Volume em 2048

0
BILHÕES DE TONELADAS

(TOTAL POR ANO)

MACROTENDÊNCIAS MUNDIAIS:

Intensificação da demanda por alimentos
Aumento da demanda por energia
Expansão do entretenimento e turismo
Mudança nos padrões de produção
Urbanização e emergência de megacidades
Infraestrutura moderna e competitiva
Envelhecimento da população
Tensões geopolíticas
Previous
Next

Impacto direto na cadeia de geração de resíduos.

O esforço que a humanidade demanda do planeta é 1.7x maior que sua capacidade.​

O Dia da Sobrecarga da Terra marca a data em que passamos a consumir mais recursos do que podem ser regenerados. Ocorreu pela primeira vez em 1970 e, desde então, acontece mais cedo a cada ano.

• 1999: 29/09 • 

• 2009: 19/08

• 2019: 29/07

O problema do lixo começa na geração

water
0
DE TONELADAS DE PLÁSTICO PRODUZIDAS

Em 2016, o mundo produziu 24 trilhões de garrafas PET, que equivalem, em peso, a mais de 3 milhões de baleias-azuis.

(BANCO MUNDIAL)

apple
0
DE TONELADAS DE COMIDA DESPERDIÇADAS

1/3 de toda a comida do mundo vai parar no lixo, enquanto mais de 800 milhões de pessoas estão passando fome.

(FAO: FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION – ONU)

Onde esses resíduos vão parar?

MAIS DE 60%

descartado em lixões e aterros

MENOS DE 15%

chega às estações de reciclagem

(BANCO MUNDIAL)

NO BRASIL, OS NÚMEROS SÃO AINDA MAIS PREOCUPANTES:

80 MILHÕES DE TONELADAS DE RESÍDUOS POR ANO

MENOS DE 3% SÃO REAPROVEITADOS OU RECICLADOS.

O DESAFIO DO ENGAJAMENTO

Na última década, o tema sustentabilidade ganhou força, principalmente como resultado do grande investimento em campanhas de sensibilização. Uma pesquisa publicada no ano passado pelo IPEA, em parceria com o Ibope Inteligência, identificou que desinformação ainda é o principal obstáculo enfrentado pela reciclagem no Brasil.

66%

SABEM POUCO OU NADA SOBRE COLETA SELETIVA

28%

DESCONHECEM CORES DE LIXEIRAS POR RESÍDUOS

O estudo ainda descobriu que:

98% reconhecem a reciclagem como importante para o futuro do planeta.
94% das pessoas concordam que separar o lixo é a atitude mais indicada para descarte.
MAS APENAS 25% DOS BRASILEIROS FAZEM SEPARAÇÃO DO LIXO EM CASA.

Os números mostram que, apesar de eficientes em despertar as pessoas para o tema, os esforços de comunicação não conseguiram transmitir o principal: todos precisamos desempenhar um papel para reverter o ciclo do lixo.

Aqui na Eco Circuito, temos clareza sobre qual o nosso propósito: transformar geradores de lixo em agentes ambientais. Queremos contribuir para a evolução do modelo circular de reaproveitamento de resíduos e deixar, como legado do nosso trabalho, um mundo mais vivo paras as próximas gerações.

Panorama da destinação de resíduos no Brasil

MAIS DE 70% AINDA SÃO ENVIADOS PARA ATERROS E LIXÕES IRREGULARES

MAS O PRAZO PARA OS LIXÕES ACABAREM JÁ VENCEU​

A Política Nacional dos Resíduos Sólidos determinou 2014 como prazo-limite para encerramento das atividades de todos os lixões no país. Mas, na prática:

+3.000 lixões ativos em 2018

Crescimento de 3% em relação ao ano anterior

95 milhões de pessoas impactadas

Moradores do entorno contaminados pela água e pelo ar

R$ 3 bilhões / ano

Em gastos públicos 
com tratamento de 
doenças que são causadas por contaminação em lixões

DADOS DA ABRELPE (2018) – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EMPRESAS DE LIMPEZA PÚBLICA E RESÍDUOS ESPECIAIS

MAIS DE 50% DOS RESÍDUOS GERADOS NO BRASIL SÃO ORGÂNICOS

O Brasil está entre os países que mais descartam alimentos no mundo: 51,4% do volume total de resíduos.

A média global é de 44% e em países desenvolvidos, como EUA (maior PIB do mundo) e Noruega (maior IDH do mundo), o volume de orgânicos é de 14,9% e 15,5%, respectivamente.

COMIDA NÃO É LIXO!

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) estima que cerca de 14 milhões de brasileiros convivem com a fome. É inegável que problemas como desigualdade social e a instabilidade da economia contribuem para esse cenário. Mas é difícil olhar para os números do desperdício no país e não refletir sobre o que poderíamos fazer diferente:

41 mil toneladas de comida desperdiçadas no Brasil, todos os dias.

Suficientes para alimentar, por dia, mais de 25 milhões de pessoas.

(Instituto Akatu e ONU Verde)

A ROTA DO DESPERDÍCIO DE ALIMENTOS

0 %
NA COLHEITA
0 %
NO MANUSEIO E TRANSPORTE
0 %
NAS CENTRAIS DE ABASTECIMENTO (CEASAS)
0 %
NOS LARES E EM SUPERMERCADOS

Segundo dados da FAO Brasil, cerca de 30% dos alimentos produzidos no Brasil sequer chegam à mesa da população: perdem-se antes, no processo. A organização estima ainda que 28% das áreas agrícolas são destinadas à produção de alimentos que serão desperdiçados. Segundo a Associação Brasileira de Supermercados (Abras), só nos supermercados o desperdício chega à casa dos R$ 7,1 bilhões – cerca de 2% do faturamento líquido do setor.

O DESPERDÍCIO EM CASA

41,6 quilos de comida desperdiçada, por pessoa, por ano.

68% das famílias

valorizam muito geladeira e dispensa cheias.

59% das pessoas

não se importam se houver comida demais, ainda que 94% afirmem ser importante evitar o desperdício.

R$ 180 por mês

desperdiçados em comida que vai pro lixo (quase 30% do gasto médio por lar).

(INSTITUTO AKATU, COM BASE EM DADOS DO IBGE)

Nós produzimos, ao todo, 37 milhões de toneladas de lixo orgânico por ano, mas apenas 1% é reaproveitado!

De acordo com projeções da Abrelpe, se os 99% restantes fossem submetidos a processos de tratamento, a redução nas emissões de metano seria equivalente a tirar 7 milhões de carros de circulação.

Isso é mais do que o total de veículos registrados na cidade de São Paulo, em 2018 (5,7 milhões).

POTENCIAL ECONÔMICO DO LIXO ORGÂNICO

Resíduos orgânicos podem ser utilizados como matéria-prima em diferentes processos para geração de:

ecocircuito-agua

ÁGUA

Biodigestão aeróbia
ecocircuito-adubo

ADUBO

Compostagem

ecocircuito-energia

ENERGIA

Incineração

Pirólise

ecocircuito-biogas

BIOGÁS

Biodigestão anaeróbia

O ponto em comum entre as diferentes alternativas de reaproveitamento de resíduos orgânicos: dependem de um bom processo de separação dos demais resíduos.

LOGÍSTICA:

um dos principais desafios para a gestão sustentável de resíduos orgânicos.

O resíduo alimentar requer cuidados especiais para seu armazenamento até o momento da coleta, para evitar o risco de contaminação e geração de odores quando entra em processo de decomposição. O uso de câmaras refrigeradas, e constante necessidade de higienização do ambiente e controle do volume de resíduos gerados, são características que tornam a operação mais onerosa e pouco eficiente.

Eliminar a necessidade de armazenagem e logística é uma realidade por meio da tecnologia do Biodigestor LFC (clique aqui para saber mais).

O PAPEL (E A OPORTUNIDADE) DAS EMPRESAS NA GESTÃO DE RESÍDUOS

A Política Nacional dos Resíduos Sólidos estabelece responsabilidade das empresas privadas sobre a destinação de seus próprios resíduos, além da logística reversa de seus produtos. Tem crescido as medidas de controle e fiscalização: no estado de São Paulo, por exemplo, a AMLURB tornou obrigatório o cadastro de todas as empresas em sistema de geração de resíduos; já a CETESB obriga que empresas comprovem logística reversa para renovação de licença ambiental – saiba mais sobre legislação de resíduos no Brasil aqui.

Buscar alternativas para agregar sustentabilidade à operação é, porém, uma questão que vai além dos aspectos legais. A estrutura oferecida, hoje, pelo setor público não dá conta de todos os resíduos. Os números de coleta e reciclagem no país deixam isso claro. Nós acreditamos que a solução para o lixo no Brasil precisa ser construída em rede, com contribuição ativa da sociedade civil e da iniciativa privada. Se cada um fizer sua parte, seremos capazes de gerar um grande impacto para o meio ambiente e o futuro do nosso planeta. 

REDUZIR, REUTILIZAR, RECICLAR

Uma gestão de resíduos eficaz inicia antes do descarte do resíduo: o primeiro – e mais importante – resultado é a redução na geração. Esse processo pode trazer benefícios financeiros, operacionais e institucionais para empresas, além de contribuir para redução do impacto que hoje é causado ao meio ambiente.

O ponto de partida para isso é conhecer os resíduos gerados na empresa em profundidade e identificar oportunidades de otimizar seu ciclo dentro da operação.

NÓS AJUDAMOS EMPRESAS A EVOLUIR NA GESTÃO DE SEUS RESÍDUOS

O propósito da Eco Circuito é transformar geradores de lixo em agentes ambientais.

Nosso objetivo é contribuir para a evolução do modelo linear de consumo e descarte para um modelo circular de reaproveitamento. Queremos deixar, como legado do nosso trabalho, um mundo mais vivo para as próximas gerações.

O primeiro passo para uma gestão eficaz e sustentável é conhecer os resíduos em profundidade.

O ponto de partida do nosso serviço de assessoria em gestão de resíduos é um diagnóstico sobre a geração de resíduos na empresa: quais os tipos e volumes, as fontes geradores, as rotas internas e externas para armazenamento e descarte. O resultado deste trabalho dá subsídio para a criação de um plano de gestão de resíduos customizado e adequado à realidade da operação. Do ponto de geração do resíduo à destinação final, por meio de conhecimento e tecnologia, podemos identificar formas para reduzir, reutilizar e reciclar.

O Biodigestor LFC transforma resíduos de alimentos em efluente, que pode ser descartado diretamente no sistema de esgoto ou tratado para gerar água de reuso.

Compacto, automatizado e com processo 100% natural, o equipamento é indicado para grandes geradores de resíduos orgânicos que buscam uma alternativa para processá-los com praticidade, eficácia e sustentabilidade. A Eco Circuito é representante exclusiva do Biodigestor LFC no Brasil, produto desenvolvido no Vale do Silício pela Power Knot LLC, empresa referência em desenvolvimento de biodigestores, cujas soluções estão presentes em centenas de operações, espalhadas por mais de 20 países.