Por onde começar a gestão de resíduos em empresas?

eco-circuito-onde-comecar

Uma gestão eficaz dos resíduos da empresa permite evoluir de um modelo linear de descarte para um modelo circular de reaproveitamento: reduzir, reutilizar, reciclar.  Conhecer, em profundidade, os resíduos gerados no local é o primeiro passo rumo um processo mais otimizado e limpo.

O primeiro passo para uma gestão de resíduos eficaz e sustentável é entender o cenário dos resíduos na empresa investigando, entre outras coisas, os tipos de resíduos gerados, sua origem e volume.

Esse diagnóstico inicial permitirá ter uma visão holística do processo, capaz de apontar gargalos e oportunidades para o desenvolvimento de um plano de gestão de resíduos eficaz e sustentável. 

No primeiro nível, é preciso analisar o tipo de resíduo, que pode ser perigoso ou não, e seu estado, se sólido, líquido ou gasoso. Essa definição vai orientar quanto às regras e legislações específicas que devem ser seguidas, como é o caso da PNRS – Política Nacional de Resíduos Sólidos, que torna obrigatória, para empresas e instituições públicas, a elaboração de um plano de gestão de resíduos.

Saiba mais sobre a legislação de resíduos sólidos no Brasil, estágios de aplicação e evolução nas ferramentas de controle e fiscalização

Conhecer os resíduos sólidos é o ponto de partida para adequação à PNRS

Cada resíduo sólido demanda um tratamento específico, oportunidades diferentes de redução de consumo e soluções diversas para reutilização, reciclagem e, em última instância, descarte. 

Dois resíduos com processos de gestão bastante diferentes entre si são os orgânicos e os plásticos. Enquanto o primeiro pode retornar à natureza como efluente, biofertilizante ou biogás, o segundo precisa ser reprocessado em matéria-prima. Os processos de armazenamento, transporte e processamento, assim como os cuidados em cada caso, são distintos e também seu aspecto no momento do descarte – um é seco, o outro molhado. 

O ponto em comum entre resíduos alimentares e plásticos, além de serem sólidos, é o preocupante desperdício no Brasil: 40 milhões de toneladas de resíduos orgânicos, em média, por ano e mais de 11 milhões de toneladas de plástico. Saiba mais sobre o cenário do lixo no Brasil.

Em função das diferenças e possibilidades distintas para cada tipo de resíduo, para otimizar os resultados com o processo de gestão, é fundamental entender:

  • O que são: quais são os tipos de resíduos gerados e em que estado são encontrados?
  • Volume: qual é o volume total de resíduos gerados pela empresa, e por tipo?
  • Origem: quais são os processos que geram resíduos, onde e como ocorrem?
  • Destinação: como é feita atualmente? 
  • Recursos: quais recursos físicos e humanos estão envolvidos no processo de gestão de resíduos atual?
  • Custos: quais são os custos diretos e indiretos relacionados ao ciclo do resíduo na operação?

Com base nessas respostas e nos aprendizados coletados no estudo, será possível caracterizar de maneira adequada os resíduos gerados na empresa e, mais que isso, determinar seu potencial de reciclagem e custos operacionais com a destinação para aterros sanitários. Esse diagnóstico constitui uma base sólida para a elaboração de um plano de gestão de resíduos sustentável, estratégico e de acordo com as legislações vigentes.

Benefícios de conhecer o resíduo como primeiro passo

  • Entender o cenário dos resíduos gerados pela empresa, para atuar estrategicamente nas diferentes etapas desse ciclo, de forma a minimizar o impacto do processo na operação e no meio ambiente.
  • Identificar o sistema de tratamento, reuso ou coleta mais adequado para cada tipo de resíduo e as possibilidades de redução na geração, além das oportunidades de lucro com reciclagem e otimização de recursos financeiros, humanos e físicos.
  • Potencializar geração de valor para o meio ambiente, por meio da destinação adequada de todos os resíduos, que reduz a necessidade de consumo de novos recursos naturais como matéria-prima.
  • Assegurar adequabilidade do plano para a realidade e as necessidades da operação, garantindo também benefícios financeiros, operacionais e institucionais a partir da otimização na gestão de resíduos – saiba mais aqui.
  • Garantir cumprimento da legislação vigente para cada tipo de resíduo e, no caso da PNRS, aplicar a ordem de prioridade prevista no texto para gestão de resíduos: não gerar, reduzir, reutilizar, tratar e destinar adequadamente.

Como conhecer os resíduos da sua empresa em profundidade?

Para fazer um estudo bem embasado e consistente, o mais recomendado é contratar uma empresa especializada no assunto, que possa assessorar a empresa na elaboração de um Plano de Gestão de Resíduos, que contemple:

  • Desenvolvimento de estudo de gravimetria, que caracteriza o volume, o tipo e o peso dos resíduos gerados
  • Análise dos processos internos para identificar os pontos de geração e processos de armazenamento, tratamento, transporte e descarte
  • Mapeamento de estrutura, recursos físicos e pessoais disponíveis para o processo de gestão de resíduos.
  • Adequação à legislação vigente nas instâncias municipal, estadual e federal.

Por fim, os especialistas devem desenvolver um plano de gestão de resíduos com atuação eficaz, processo sustentável e foco em otimização real, de forma a gerar benefícios para a empresa e, principalmente, para o meio ambiente. Precisamos, com urgência, reverter o ciclo do lixo e evoluir para um modelo circular de reaproveitamento. Esse é o caminho para construirmos um mundo mais vivo para as próximas gerações.

A Eco Circuito pode ajudar sua empresa a evoluir na gestão de resíduos. Conhecer o resíduo em profundidade é o primeiro passo do Diagnóstico, etapa inicial da nossa assessoria em gestão de resíduos para empresas.

Clique aqui e saiba mais sobre nossa Assessoria em Gestão de Resíduos ou entre em contato.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Share on print